Presidenciáveis apresentam propostas para o futuro do setor agropecuário

Brasília 30 de agosto de 2018

POR MÁRIO BENISTI
A Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária (CNA) organizou hoje (29), um encontro para debater “O Futuro é Agro”, com candidatos à Presidência da República. Na oportunidade, os postulantes receberam um documento com a mesma temática da conferência, contendo os principais tópicos que inviabilizam um maior desenvolvimento do segmento agropecuário. O evento aconteceu na sede da entidade, em Brasília.
Na abertura da mesa de debates, o presidente da CNA, João Martins, se posicionou sobre a ausência de alguns postulantes ao Palácio do Planalto. “Todos os candidatos foram convidados, sem exceção. Quem não veio é porque não tem interesse em dialogar com o produtor rural, já que aqui é a casa do produtor”, avaliou João Martins.
Estiveram presente os candidatos Geraldo Alckmin (PSDB), Henrique Meirelles (MDB), Álvaro Dias (Podemos) e Marina Silva (Rede). Todos tiveram a oportunidade de dialogar com lideranças e apresentar suas propostas de governo para as lideranças do setor. A seguir, os principais trechos do diálogo dos presidenciáveis com o segmento agropecuário.
Álvaro Dias
Ao dialogar com representantes do agronegócio, o candidato do Podemos, Álvaro Dias, chegou a avaliar que o segmento hoje no Brasil é imbatível dentro do campo. Contudo, é muito debilitado nas exportações devido a diversos fatores internos e externos. Para o postulante ao Palácio do Planalto, é indispensável oferecer apoio técnico e de extensão ao produtor rural.
Uma das saídas para fomentar o setor agropecuário, segundo Álvaro Dias, é o incentivo a pesquisa. De acordo com o presidenciável, esse é o principal caminho para aprimorar um dos principais setores que fomentam a macroeconomia do Brasil.
“É fundamental estimular as instituições de pesquisa. A Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) tem uma presença exuberante no processo de evolução tecnológica da agricultura brasileira, e ela tem que retomar esse perfil. E certamente um país que deseja alcançar índices de produtividade tem o dever de investir em tecnologia e inovação”, acentuou Álvaro Dias.
Geraldo Alckmin
Durante participação, o candidato Geraldo Alckmin enfatizou a importância do agronegócio para a economia brasileira. De acordo com o tucano, “onde entra o agronegócio, cresce a oportunidade de emprego”, discursou.
O candidato tucano destacou a importância de flexibilizar os impostos sobre o petróleo, sendo um dos tributos flexível as variações do mercado. Para o presidenciável, há condições de se tornar uma tarifa variável, que acompanhe as oscilações de mercado.
“Quando o preço do barril do petróleo sobe, reduz o imposto. Quando o valor do barril cai, sobe o tributo. Não vamos acabar com a taxação do imposto, mas você tem uma flexibilidade, um colchão tributário para amortecer um pouco essas grandes oscilações do barril de petróleo”, disse Geraldo Alckmin.
Henrique Meirelles
Na vez do ex-ministro da fazenda de Temer, o candidato Henrique Meirelles (MDB) ressaltou a importância da garantia de segurança nas áreas rurais brasileiras. De acordo com o candidato, é dever do Estado preservar e proteger a população rural e urbana, pois “a violência se combate com inteligência”, afirmou.
Para o presidenciável, as entidades governamentais devem utilizar a inteligência no combate ao crime. “Devemos investir em tecnologias que contribuem para aprimorar a segurança pública brasileira, detectando de maneira rápida as ações que apresentam insegurança à sociedade como um todo. Países já estiveram em situações de segurança mais difíceis do que o Brasil, em situações de conflito armado. Enfrentaram e resolveram a questão implantando a lei e a ordem. Isso é inaceitável”, enfatiza Henrique Meirelles. 
Marina Silva
O evento foi finalizado pela candidata Marina Silva, do partido Rede Sustentabilidade. Conhecida pelos trabalhos desenvolvidos na promoção do Desenvolvimento Sustentável, a presidenciável aproveitou o momento para parabenizar os produtores rurais por promoverem a chamada “Revolução Agrícola”, que impulsionou o segmento agropecuário brasileiro.
A candidata ressaltou a força do setor agropecuário brasileiro, que segundo a presidenciável se destaca diante de outras nações. O que é necessário, na opinião de Marina Silva, é uma maior visão técnica sobre as oportunidades disponíveis ao setor agropecuário.
 
“O Brasil está para o século XXI assim como os Estados Unidos está para o século XX. O Brasil é um país jovem que compete com países de cultura milenar e se tornou mais desenvolvido do que eles para a nova agricultura. Ou seja, o Brasil tem as melhores possibilidades. O que falta é apenas uma ampla visão estratégica, acompanhando não apenas onde a bola está, mas para onde ela vai estar”, acredita Marina Silva.   

colunapolitica

A Coluna Política é uma publicação da equipe Really Brasil - parceria/conteúdo fornecido por assessorias e agências de notícias. Sugestão de pauta: redacao@ColunaPolitica.com.br NOTA DA REDAÇÃO: Em cumprimento à Legislação Eleitoral, o SITE COLUNA POLÍTICA não publicará os comentários dos leitores. O espaço para a interação com o público voltará a ser aberto logo que as eleições de 2018 se encerrarem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *