CAIXA economiza R$ 125 milhões em pregão eletrônico, o menor valor em 15 anos

CAIXA economiza R$ 125 milhões em pregão eletrônico, o menor valor em 15 anos

Por Ronaldo Nóbrega | Justiça em Foco |

Brasília – O pregão eletrônico que aconteceu (8/01) se destinou a aquisição de bobinas para impressão de materiais da Caixa Econômica Federal. Esse foi o menor valor registrado nos últimos 15 anos. A ideia do governo de Jair Bolsonaro é enxugar gastos maximizando a eficiência dos processos em todos os setores. O presidente da CAIXA, Pedro Guimarães, pode comemorar uma economia de mais de R$ 125 milhões para a instituição. Esse dinheiro agora está livre para ser investido em outras áreas, como no fomento aos programas de moradia, por exemplo. O pregão visava a aquisição de bobinas de papel térmico personalizadas, com numeração de rastreamento no verso e malhas de segurança na frente. Essas bobinas são utilizadas em impressoras nas lotéricas para imprimir jogos da Mega-Sena, por exemplo. 

O site Justiça em Foco acompanhou o pregão eletrônico e constatou que a empresa vencedora deu um lance no valor de R$ 168.018.489,60. Um fato que chamou a atenção foi que os demais licitantes mantiveram seus valores na média de 193 milhões, mesmo quando o pregoeiro avisou aos participantes para oferecerem seus lances finais. Dessa forma, são 25 milhões economizados a cada ano, num contrato de 5 anos de duração. 

O site Justiça em Foco apurou que os valores das licitações anteriores foram muito superiores ao contratado na tarde de ontem. Nossa equipe, conversou com um servidor da Controladoria-Geral da União (CGU), um dos responsáveis por acompanhar a realização das diversas licitações da União. Ele pediu para permanecer no anonimato. Indagado sobre a coincidência dos valores dos outros licitantes, ele disse: “talvez seja só uma coincidência muito estranha”.

Lembrando que o ministro da Economia, Paulo Guedes, já havia comentando sobre essas coincidências estranhas, em janeiro de 2019. Ele declarou que, “para esse Governo, a corrupção é intolerável”, quando comentou sobre os escândalos em contratos da Petrobras e da própria Caixa. Paulo Guedes foi uma das autoridades que participou da cerimônia de posse ao novo Presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães.

Com a mudança nos cargos de direção da Caixa, mudou-se também a relação institucional da empresa com os órgãos de controle. Destaca-se o trabalho do Tribunal de Contas da União (TCU) que tem sido vigilante e que tem promovido uma grande interação com outros órgãos e entidades. Essa é uma das principais marcas do novo governo e da equipe econômica que estão buscando, desde o primeiro dia, reduzir custos e unir esforços.

ronaldo.nobrega@justicaemfoco.com.br

Comentários