Geral

GIT Mobi

Celepar. - quinta, 03 de dezembro de 2020
 

O Batalhão de Polícia de Trânsito (BPTran) da Polícia Militar já está utilizando os talonários eletrônicos, a forma digital do “bloco de multas”. A Celepar em conjunto com o Departamento de Trânsito do Paraná (Detran-PR), desenvolveu o aplicativo GIT Mobi.

O app do talonário eletrônico funciona em smartphones, com acesso restrito apenas aos agentes de trânsito. No lugar de usar o papel para preencher os autos de infração, tudo é feito eletronicamente.

O presidente da Celepar, Leandro Moura, enalteceu "a parceria entre a empresa e o Detran nesta solução facilita o trabalho de fiscalização dos agentes de trânsito, além de ajudar o meio ambiente ao evitar o consumo de papel, unindo tecnologia, segurança e também sustentabilidade". 

Para o capitão Márcio Rodrigues, a vantagem do uso do talonário eletrônico é que minimiza o erro no preenchimento do auto de infração. “O talonário eletrônico não permite que você insira dados equivocados, pois já é possível verificar no mesmo momento. Não haverá erros por letra, erro porque a caneta estourou ou algo assim. Teremos muito menos perdas de autos de infração”, destaca. 

De acordo com o diretor-geral do Detran, Wagner Mesquita, o talonário eletrônico está trazendo grande eficiência para os agentes e autoridades de trânsito, com impactos muitos positivos para a população. “Dentre eles, a economia e sustentabilidade, pois faremos uso de menos papel e não precisaremos gastar com a digitalização e malotes”.

A primeira experiência com a utilização do equipamento foi positiva, na visão dos agentes. “Estamos avaliando e sugerindo um detalhe ou outro que possa facilitar ainda mais nosso serviço”, afirma o capitão Rodrigues. 

Funcionalidades

O GIT Mobi oferece apoio aos agentes de fiscalização de trânsito, e entre as principais funcionalidades do aplicativo estão a lavratura do auto de infração, registro de imagens, obtenção de assinatura de condutores e também consultas de veículos, impressão de autos e condutores.

Câmeras

Neste primeiro uso do aplicativo, também foi realizada uma Prova de Conceito (PoC) de um sistema de câmeras inteligentes. Esta câmera é instalada no início da blitz e avisa o agente de trânsito se o carro possui algum débito ou irregularidade.

“Uma blitz realizada desta forma é muito mais eficiente, pois não é seletiva, ou seja, não incomoda a população. Motoristas que estão com os seus documentos em dia não serão abordados. Além de dar mais efetividade, a blitz tem 100% de aproveitamento”, explica Mesquita.