Política

Bolsonaro joga contra si ao indicar Mendonça ao STF

Por Ronaldo Medeiros | - quinta, 08 de julho de 2021
 

O nome do Advogado Geral da União (AGU), André Mendonça, deve ser o indicado por Jair Bolsonaro para ocupar a vaga de ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) no lugar do decano Marco Aurélio Mello. A escolha já está praticamente certa e foi comunicada hoje (07/07) pelo próprio Presidente.

Essa escolha agrada petistas e desagrada alguns aliados do governo. Em mais uma oportunidade, o Presidente Jair Bolsonaro põe em risco seu governo ao escolher um nome para ocupar o STF. Lembrando que o nome de Kássio Nunes também foi polêmico.

André Mendonça é visto com maus olhos no Senado Federal. Isso pode significar um revés na sabatina que é feita todas as vezes que um ministro do Supremo é indicado.

Ainda mais em se tratando de um membro do governo que já comemorou a vitória de Luiz Inácio Lula da Silva em 2002. André Mendonça é um antigo simpatizante do PT, portanto não deveria ocupar um cargo de tamanha importância.

Lula é a principal ameaça política à reeleição de Bolsonaro em 2022. São somente 20 anos que separam um “amor antigo” de André Mendonça pelas ideias de Lula chefiar, novamente, o Brasil.

O petista foi o responsável pelo maior escândalo de corrupção do planeta e deveria ser execrado pela mídia e por qualquer cidadão brasileiro. Contudo, no Brasil vigora, hoje, um vale-tudo contra Bolsonaro em 2022.

O pior é ver o próprio Presidente jogando contra si. Dessa forma, a esquerda se fortalece, agrega novos aliados de centro e vai isolando cada vez mais os poucos e fiéis apoiadores de Bolsonaro.

Fato é que, segundo interlocutores do Congresso Nacional, altos nomes da cúpula petista comemoraram a indicação de André Mendonça ao STF em um restaurante em Brasília. Boa coisa isso não pode significar!