Ronaldo Nóbrega

Interferência no MEC

redacao@ColunaPolitica.com.br | - sexta, 17 de julho de 2020
 

O Presidente da Associação de Pais e Estudantes de Medicina do Estado da Bahia, Francisco José Calmon Bacelar, participou de uma ‘live’ com o jornalista Ricardo Vasconcelos da Rádio Livre de Salvador. O assunto abordado foi a grande influência que as Instituições de Ensino Superior exercem no Ministério da Educação ditando os rumos da Educação de Nível Superior no Brasil.

Abaixo trechos da matéria publicada no site Justiça Em Foco:

Segundo Francisco Bacelar, há um corporativismo entre a Associação Brasileira das Mantenedoras de Ensino Superior (ABMES), a Associação Nacional das Universidades Privadas (ANUP) e o Conselho Nacional de Educação (CNE) juntamente com a Secretaria Especial de Relação com Ensino Superior (SERES/MEC).

Francisco Bacelar denuncia uma interferência da ABMES e da ANUP nas resoluções e decretos do MEC que favorecem apenas as Instituições de Ensino Superior em detrimento de pais e alunos. No caso do curso de Medicina, por exemplo, essa situação fica pior em razão dos altos custos envolvidos para que um aluno se torne médico. Estima-se que durante os 5 anos, a residência médica e especialização, uma família investe cerca de 1,5 milhão de reais na graduação de um médico.